NOTÍCIAS

NOVAS MARCAS JÁ ESTREIAM COM CONCEITO ATRELADO A PANDEMIA

Kerouac - foto Jackie Campos

O isolamento social mudou o comportamento dos consumidores e, com isso, as empresas também precisaram se adaptar ao novo formato de vendas

O desafio de criar um novo negócio, por si só, já é algo assustador para muitos empreendedores que tem o sonho de construir sua própria empresa. Mesmo diante deste obstáculo a ser superado, em meio a pandemia provocada pelo novo coronavírus (Covid-19), algumas pessoas se viram diante de um novo comportamento do consumidor com a necessidade da realização do isolamento social.

Segundo estudo – realizado pela Kearney, consultoria global de gestão estratégica – sobre os impactos da Covid-19 no comportamento de consumo dos brasileiros e, consequentemente, no comércio eletrônico no Brasil, o e-commerce deve registrar R$ 111 bilhões em 2020. O valor é 49% superior ao registrado em 2019, quando o mercado faturou R$ 75 bilhões. O estudo considera um cenário base e aponta que os novos hábitos de consumo podem trazer aproximadamente R$ 69 bilhões em vendas adicionais ao e-commerce no país, para o período de 2020 a 2024, na comparação com projeções anteriores à pandemia.

Esta adaptação exigida aos tempos atuais fez com que novas marcas fossem criadas já atendendo a este conceito mais digital, que promete ter chegado para ficar. Lançada em agosto, em meio a pandemia, a marca capixaba de roupa masculina Kerouac já estreou no mercado da moda adaptada às vendas online, que estão sendo feitas pelas redes sociais e, em breve, também pelo site, que está em construção. O empresário Marcelo Peisino e a estilista Daniele Godoy se adaptaram às novas tendências com os avanços da tecnologia e a necessidade de muitas pessoas se manterem em casa, buscando sua segurança. Por isso, eles também realizaram o ensaio da primeira coleção em casa, com todos os cuidados para a equipe.

“Estamos em um novo momento, que merece a nossa atenção para ser compreendido – com diferentes comportamentos e necessidades – e, por isso, precisamos nos reinventar, em qualquer mercado. Logo na estreia da Kerouac tivemos uma procura muito positiva, que tem nos motivado a seguir neste caminho, procurando nos adaptar a esta fase que, com certeza, deixará um legado de inovação e adaptação aos desafios, em todas as áreas”, destaca o empresário Marcelo Peisino.

Recentemente, a Kerouac também começou a oferecer o serviço "road to you", em que uma bolsa com alguns itens é entregue ao cliente, para que ele possa experimentar as peças no conforto e segurança da sua casa. Tudo é feito com todo cuidado com a realização de um processo rigoroso de higienização das roupas. “A saída é realmente empreender, pensando nesta nova realidade, atendendo as necessidades deste momento. O mercado mudou para todos e está exigindo cada vez mais uma adaptação consciente da nossa parte”, opina.

A empresária Aline Mareto também concorda com este conceito, que está sendo aplicado na sua marca de moda fitness, a Bmood. O negócio foi criando em meio a pandemia e já nasceu com os ajustes a este novo formato do comércio. “Desde final de setembro de 2019 estávamos trabalhando de maneira mais efetiva na ideia e conseguimos lançar em junho a marca com vendas pela internet, no site bmood.com.br”, explica.

Aline Mareto -BMood

O contato da marca, assim como toda a divulgação é feita de forma 100% online. “Tenho explorado bastante o universo das mídias sociais como apresentação da nossa proposta e dos nossos produtos. Como eu já tenho uma presença neste meio, é um pouco natural estar mais inserida nesta parte do negócio, que é onde sentimos uma demanda maior do público, até mesmo com o engajamento, surgimento de dúvidas e contato com interesse nas peças”, comenta Aline, que também é influenciadora digital.

COMENTÁRIOS