NOTÍCIAS

FESTIVAL DE CINEMA DE VITÓRIA ABRE INSCRIÇÕES PARA OFICINAS DE AUDIOVISUAL

Cinema e Vídeo, Animação, Roteiro, Atuação Cinematográfica, Montagem, Crítica Cinematográfica e Elab

Festival de Cinema de Vitória abre inscrições para oficinas de audiovisual

 

Cinema e Vídeo, Animação, Roteiro, Atuação Cinematográfica, Montagem, Crítica Cinematográfica e Elaboração e gestão de projetos culturais são as sete oficinas que serão oferecidas pelo festival e que vão acontecer naUniversidade Vila Velha (UVV), no campus Boa Vista, entre os dias 03 e 06 de setembro

 

Quem deseja se profissionalizar na área de cinema, ampliando os conhecimentos tanto teóricos como práticos, tem a oportunidade de se inscrever nas oficinas do Festival de Cinema de Vitória. Para a 25ª edição, serão ofertadas sete oficinas, que contemplam todas as etapas de produção cinematográfica, desde a elaboração e gestão de um projeto até a crítica cinematográfica.

Ministradas por profissionais reconhecidos no cenário local e nacional, serão oferecidas capacitações com os temas: cinema e vídeo, com Luiz Carlos Lacerda; animação, com Otto Guerra; roteiro, com José Roberto Torero; atuação cinematográfica, com Anselmo Vasconcellos; montagem, com Eva Randolph; crítica cinematográfica, com André Dib; e elaboração e gestão de projetos culturais, com Simone Marçal e Daniel Morelo. As oficinas serão realizadas na Universidade Vila Velha (UVV), no campus Boa Vista, entre os dias 03 e 06 de setembro, durante o Festival.

 

Nas oficinas, os participantes vão desenvolver projetos coletivamente ou individualmente, como a gravação de um curta experimental, cenas de filmes a partir de equipamentos digitais, produção de críticas dos filmes assistidos nas sessões de cinema, entre outros. O objetivo é capacitar os cinéfilos e novos realizadores capixabas, propiciando uma experiência a mais de aprendizado durante a maratona cinematográfica.

 

Inscrições

As inscrições estarão abertas de 13 a 20 de agosto, através de formulário disponibilizado no site www.festivaldevitoria.com.br. São ofertadas 20 vagas em cada oficina. Para se inscrever na Oficina de Crítica Cinematográfica é preciso enviar um texto crítico próprio com até 2500 caracteres sobre um filme de sua escolha. Para as outras oficinas oferecidas, o critério será a ordem de inscrição. A seleção de participantes será anunciada no site do festival e nas redes sociais até o dia 24 de agosto.  Após a etapa de inscrição, os selecionados farão o pagamento da taxa de adesão às oficinas na sede da Galpão Produções, em Bairro República, Vitória. O valor é de 80 reais (R$80,00). O telefone de contato é: (27) 3327-2751 e (27) 999762-6233.

 

25º Festival de Cinema de Vitória

O Festival conta com uma programação diversificada com as mais recentes realizações do cinema brasileiro, além de atividades de formação para diversos públicos. Esta edição do Festival homenageia ainda o produtor de cinema Luiz Carlos Barreto, o ator, figurinista e cenógrafo capixaba Cláudio Tovar, e os 50 anos de carreira do cineasta Neville D’Almeida. 

Uma realização da Galpão Produções e do Instituto Brasil de Cultura e Arte (IBCA), o 25º Festival de Cinema de Vitória acontecerá entre os dias 3 e 8 de setembro e conta com o patrocínio do Ministério da Cultura, através da Lei de Incentivo à Cultura, do Banco Regional de Desenvolvimento (BRDE), do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), da Ancine e do Governo Federal, com Apoio da Rede Gazeta, da Prefeitura Municipal de Vitória e da Secretaria de Estado da Cultura do Espírito Santo,. O Festival conta também com Apoio Institucional do Centro Técnico do Audiovisual (CTAv), do Canal Brasil, da Arcelor Mittal, da Link Digital, da Cia Rio e da UVV.

 

Conheça as oficinas e saiba como se inscrever:

OFICINA DE CRÍTICA CINEMATOGRÁFICA

Vagas: 20 vagas

Datas: 3 a 6 de setembro

Horário: 9 às 12 horas

Taxa de Inscrição: R$80,00

Local: Universidade de Vila Velha, Campus Boa Vista

 

Ministrante: André Dib

Pesquisador, crítico de cinema e jornalista formado pela Universidade Federal de Pernambuco. Sua experiência inclui a cobertura de festivais brasileiros e estrangeiros. Tem textos publicados em diversos jornais, revistas e sites, além dos livros 100 Melhores Filmes Brasileiros” (2016), “Documentário Brasileiro: 100 Filmes Essenciais” (2017) e “Animação Brasileira: 100 Filmes Essenciais” (2017). Realiza curadorias para mostras, consultorias para festivais de cinema e é membro da diretoria da Associação Brasileira dos Críticos de Cinema (Abraccine) e do Congresso Brasileiro de Cinema (CBC). Seu trabalho está reunido emwww.andredib.wordpress.com.

 

Pré-requisito:

Os interessados devem enviar um texto próprio com até 2500 caracteres sobre um filme de sua escolha. São selecionados vinte participantes.

 

Ementa:

Nesta oficina, os participantes terão a chance de conhecer uma introdução ao pensamento crítico e às possibilidades de olhar e refletir sobre a sétima arte. A partir de atividades práticas e teóricas, os alunos serão estimulados a desenvolver sua capacidade de se relacionar criticamente com os filmes. Para tanto, a partir de exibições de obras e de leitura de textos, serão realizados exercícios escritos e orais com o uso de técnicas e instrumentos apresentados em sala de aula. Os textos produzidos serão avaliados coletivamente e publicados no blog http://oficinadecritica.com. A ideia é que os participantes assistam às mostras do Festival e escolham um filme por dia para produzir a crítica no dia seguinte. No último dia de Festival, os alunos elegem o melhor filme da Mostra Nacional de Curtas, através da formação de um júri técnico paralelo. “Faz parte do exercício da crítica a comparação entre filmes”, observa Dib.

 

OFICINA DE CINEMA E VÍDEO

Vagas: 20 pessoas

Datas: 3 a 8 de setembro*

Horário: 8 às 12 e 14 às 18 horas

Taxa de Inscrição: R$80,00

Local:  Universidade de Vila Velha, Campus Boa Vista

*Nos dias 7 e 8 de setembro as aulas serão ministradas no Hotel Senac Ilha do Boi.

 

Ministrante: Luiz Carlos Lacerda

Luiz Carlos Lacerda é cineasta e realizou mais de 30 documentários sobre personalidades da cultura brasileira, entre elas, Cecília Meireles, João da Baiana, Maria Della Costa, Vianinha e Barão de Itararé, além dos longas-metragens “Mãos vazias” (1970), “O princípio do prazer” (1978), “Leila Diniz” (1988), “For all - o trampolim da vitória” (1997), “Viva sapato!” (2004), “Casa 9” (2011), “A mulher de longe” ( 2012), “Introdução à música do sangue” (2015) e “O que seria deste mundo sem paixão?” (2016). Foi professor de Cinema dentro e fora do país, produtor de novelas na TV Globo e fez diversas séries para TV.

 

Ementa:

A Oficina apresenta como resultado um curta-metragem que é foi exibido na noite do último dia de Festival, no Teatro Carlos Gomes.

A Oficina de Cinema e Vídeo tem o objetivo de instrumentalizar os participantes, técnica e artisticamente, para a realização de um curta-metragem de ficção de até 15 minutos. Em aulas práticas e teóricas, os alunos experimentaram funções distintas desse processo, nos moldes de uma equipe profissional com polivalência de funções. Praticaram-se noções básicas de dramaturgia cinematográfica, construção do personagem, decupagem (método Gabriel Garcia Marquez), linguagem e nomenclatura dos planos e movimentos de câmera, utilização dramatúrgica das lentes na construção da narrativa, elaboração, exercícios e análise técnica do Roteiro, Plano de Produção, etc.

 

OFICINA DE ROTEIRO

Vagas: 20 vagas

Datas: 3 a 6 de setembro

Horário: 14 às 18 horas

Taxa de Inscrição: R$80,00

Local:  Universidade de Vila Velha, Campus Boa Vista

 

Ministrante: José Roberto Torero

José Roberto Torero é escritor, cineasta, roteirista, jornalista e colunista. Formado em Letras e Jornalismo, cursou pós-graduação em Cinema e Roteiro. Torero dirigiu vários filmes e é autor de diversos livros, além de roteiros para cinema e tevê, como do quadro “Retrato Falado”da Rede Globo. Entre os roteiros de filmes que assina está o de “Uma História de Futebol”, finalista do Oscar em 2001. Já entre as dezenas de livros publicados, está “O Chalaça”, vencedor do prêmio Jabuti de Romance.

 

Ementa:

Na Oficina de Roteiro são abordadas as diferenças entre argumento e roteiro de ficção. Os participantes aprendem para que serve e como se formata um roteiro, como trabalhar os diálogos e as cenas, como transformar contos e histórias em roteiros, além de vários outros aspectos relacionados à área.

 

OFICINA DE ATUAÇÃO CINEMATOGRÁFICA

Vagas: 20 pessoas

            Datas: 3 a 6  de Setembro

            Horário: 14h às 18h  

Taxa de Inscrição: R$80,00

Local:  Universidade de Vila Velha, Campus Boa Vista

 

Ministrante: Anselmo Vasconcellos

Ator, diretor, escritor, pesquisador e professor, Anselmo Vasconcellos é considerado pelos críticos um ícone da geração dos artistas revolucionários dos anos 70. Desenvolve intenso trabalho artístico em cinema (50 filmes), teatro (90 espetáculos diferentes), televisão, literatura (3 livros publicados) e ensino. Na Escola Estadual de Teatro Martins Penna (Rio de Janeiro) foi diretor eleito (1988 a 1990), professor de interpretação e performance por 30 anos. Professor efetivo da FUNARJ-FUNDAÇÃO ANITA MATUANO.

Premiado como ator, diretor e autor acumula mais de 30 prêmios e honrarias. Percorre o Brasil com Oficinas Multiplicadoras e que visam implantar, desenvolver pólos e núcleos de criatividades e audiovisual.

 

Ementa:

Oficina de Atuação Cinematográfica trabalha com conversações e práticas que proporcionam reflexão atualizada sobre o trabalho do ator no cinema.

É apresentado um tour sobre as principais mudanças ocorridas no transcurso do cinema no âmbito da atuação. Do cinema mudo, dos clássicos, do cinema autoral, dos movimentos estéticos e ideológicos como Cinema Novo, Nouvelle Vague, Neorealismo Italiano, o cinema underground, o cinema “Sem-lei”.

Serão realizadas, durante a oficina, gravações de cenas com uso de celulares e câmera (Cinema digital).

Esta oficina vem sendo aplicada com sucesso em diversas cidades do Brasil e resultando em filmes que tem como maior objetivo desobstruir os receios da prática. Pode-se considerar que é um “anticurso”, pois não pretende formar nem ensinar e sim fazer refletir pelos conhecimentos compartilhados, pela história do cinema e sobretudo pela prática descongestionada, libertadora dos padrões repetitivos e condicionados pelos formadores de elenco.

 

OFICINA DE ANIMAÇÃO

Vagas: 20 vagas

            Datas: 3 a 6 de Setembro

            Horário: 14h às 18h  

Taxa de Inscrição: R$80,00

Local:  Universidade de Vila Velha, Campus Boa Vista

 

Ministrante: Otto Guerra

Nascido em Porto Alegre, Otto acompanhou a evolução da animação brasileira e tem mais de 15 obras no currículo, muitas delas premiadas em festivais nacionais e internacionais. Entre os filmes de destaque em sua trajetória estão “Treiler – A Última Tentativa” (1986), “O Reino Azul” (1989) e “Novela” (1992), vencedores do prêmio Coral de Animação no Festival de Havana, em Cuba; o longa “Rocky Hudson” (1984), vencedora do prêmio especial do júri no Festival de Brasília e selecionada para os festivais de Havana e Hiroshima; e “Wood Stock: Sexo, Orégano e Rock’n’roll” (2006), que ganhou o prêmio especial do júri no 10º Cine-PE. Atualmente, Otto Guerra dirige “A Cidade dos Piratas”, baseado na obra da cartunista Laerte.

 

Ementa:

Oficina de Animação abrange os seguintes tópicos:

- Noção de desenvolvimento de argumento, roteiro e  animatic para animação;

- Noção básica de animação 2D e 3D, teorias e técnicas;

- Uso da animação como instrumento de informação/manipulação do público (com foco na segunda guerra mundial, exibição de filmes dessa época);

Nesta oficina os alunos vão produzir sinopses de ideia para curta, longa ou série.

 

OFICINA DE MONTAGEM

Vagas: 20 pessoas

            Datas: 3 a 6 de Setembro

            Horário: 14h às 18h  

Taxa de Inscrição: R$80,00

Local:  Universidade de Vila Velha, Campus Boa Vista

Ministrante: Eva Randolph

Formada em Cinema pela Universidade Federal Fluminense e Mestre em Cinema Contemporâneo pela Universidade Pompeu Fabra, Barcelona, montou mais de 15 curtas e 10 longas metragens. Os filmes em que participou estiveram em festivais internacionais e nacionais, tais como: Festival de Brasília, Festival de Gramado, Festival do Rio, Janela Int. do Cinema, Festival de Berlim, Festival de Locarno, Festival de Roterdã, Tribeca, BAFICI, entre outros. Participou da curadoria da mostra Cinema de Montagem, que ocorreu em 2013 e 2015 em Recife, Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo.

É montadora dos longas “Aprendi a jogar com você” (Murilo Salles, 2014 – Prêmio de Melhor Montagem no Festival de Paulínia), “Amor, Plástico e Barulho” (Renata Pinheiro, 2013 – Melhor Montagem no Janela Internacional de Cinema de Recife ), “Pachamama” e "Jards" (Eryk Rocha, 2008, 2011), “Super Orquestra Arcoverdense de Ritmos Americanos  (Renata Pinheiro e Sérgio Oliveira, Melhor direção Festival do Rio 2016), Crônica de uma demolição (Eduardo Ades, 2015, Festival do Rio), entre outros. Também é montadora dos curtas premiados "Homem-livro", "Dreznica" e "Geral", de Anna Azevedo, "Na sua companhia", de Marcelo Caetano, "Vaca Profana", de René Guerra e “Magnífica Desolação”, de Fernando Coimbra.

 

Ementa:

Na Oficina de Montagem serão abordadas as formas de pensar e trabalhar a montagem audiovisual, ou seja, a montagem como dispositivo criativo desde o roteiro, como parte da concepção imagética do filme. Abordando as variadas técnicas de edição, os alunos realizarão exercícios que incitem os aspectos criativos da montagem e que resultarão em um curta experimental. Também serão comentadas questões de finalização e organização/workflow para que os alunos possam depois ter autonomia para a edição e finalização de seus próprios projetos.

 

OFICINA DE ELABORAÇÃO E GESTÃO DE PROJETOS CULTURAIS

Vagas: 20 vagas

            Datas:  3 e 4 de Setembro

            Horário: 14h às 18h  

Taxa de Inscrição: R$80,00

Local:  Universidade de Vila Velha, Campus Boa Vista

 

Ministrantes: Simone Marçal e Daniel Morelo

Simone Marçal é pós-graduada em Gestão Cultural, graduada em Comunicação Social, atua no setor cultural há 20 anos. Tem vasta experiência em realização de eventos culturais, elaboração e gerenciamento de projetos perante Governos Federal, Estaduais e Municipais. Idealizadora do Formemus - Formação Mercado Musical, consultora de projetos e parecerista nos âmbitos municipal, estadual e federal. Produz a Mostra Cinema e Direitos Humanos - etapa Vitória, realizada pelo Ministério dos DH. Foi coordenadora do Ponto de Cultura “Museu do Comum”, do Projeto “Vídeo nas Comunidades – etapa Parceiros do Bem”, coordenou o Projeto “Rede Olhares do Mundo”, realizado em parceria com o Ministério da Cultura, Produziu os 1º. e 2º. Festival de Cinema de Muqui – Fecim. Produtora Executiva das Mostras de Audiovisual da Secult – Secretaria de Estado da Cultura do ES, entre 2008 e 2011.

 

Daniel Morelo formou-se comunicólogo com ênfase em publicidade e propaganda, é pós-graduado em planejamento estratégico de comunicação pela Universidade Metodista de São Paulo e Licenciado em Filosofia pela Universidade Federal do Espírito Santo. Idealizador e apresentador dos programas de rádio Sorvetinho FM (que só veicula músicas de artistas do ES) e a Sexta Vraum na Universitária 104,7 FM. Coordenou os Festivais 'Voadora' e 'Tarde no Bairro' e coordena a coletânea Voadora Records, que reúne produções musicais capixabas, que são distribuídas para alunos da rede pública estadual. Parecerista de projetos, também idealizador do Formemus - Formação Mercado Musical, que acontece em Vitória.

 

Ementa:

A Oficina é focada nos embasamentos, caminhos e formas de elaboração de projetos culturais, pensando desde a apresentação, objetivo, justificava, estratégias, acessibilidade, democratização, contrapartidas e demais etapas. Além de demonstrar a parte prática da escrita de um projeto, aborda também como funcionam os direitos autorais, a Lei Rouanet e a Nova Instrução Normativa em vigor, os editais vigentes no momento da oficina e a forma como os pareceristas avaliam as etapas descritas, além do Mapa da Cultura e suas principais funções.

COMENTÁRIOS