NOTÍCIAS

FERIADO COM OS FILMES ‘A CIDADE DOS PIRATAS’ E ‘DIANTE DOS MEUS OLHOS’ NA TELONA DO CARLOS GOMES

Novo filme de Otto Guerra integra a 8ª Mostra Competitiva Nacional de Longas-Metragens

Feriado com os filmes ‘A Cidade dos Piratas’ e ‘Diante dos Meus Olhos’ na telona do Teatro Carlos Gomes

Novo filme de Otto Guerra integra a 8ª Mostra Competitiva Nacional de Longas-Metragens, no Teatro Carlos Gomes, nesta sexta, 7 de setembro. Já sábado, dia 08, é a vez da exibição do longa ‘Diante dos Meus Olhos’, documentário de André Félix que explora a história d’Os Mamíferos

O feriado vai ser de muito cinema de graça para o capixaba com os dois últimos dias do 25º Festival de Cinema de Vitória.  Referência para o cinema nacional de animação, o diretor Otto Guerra traz seu novo filme para o festival nesta sexta-feira (7 de setembro). Com sessão gratuita, A Cidade dos Piratas chega ao Teatro Carlos Gomes às 20 horas, dentro da programação da 8ª Mostra Competitiva Nacional.

Inspirado na tira de quadrinhos “Os Piratas do Tietê”, da cartunista Laerte, o filme mistura a trajetória da artista para se assumir trans e uma crise pessoal do próprio diretor, curado recentemente de um câncer. Na obra, um cineasta passa a desconfiar dos personagens de seu filme inacabado. Para resolver o imbróglio - e finalizar o longa -, o diretor decide contar sua própria história, perturbando os limites entre ficção e vida real.

Finalizado neste ano, A Cidade dos Piratas foi selecionado para o 46º Festival de Cinema de Gramado, no Rio Grande do Sul (RS). O filme conta com Matheus Nachtergaele, Marco Ricca e a própria cartunista Laerte entre os dubladores.

Segundo Otto Guerra, o longa levou mais de 20 anos para ser realizado, desde a ideia do projeto até sua finalização. Além de percalços na pré-produção, o diretor se viu diante da transformação do trabalho de Laerte, fonte de inspiração do filme.

“A primeira versão finalizada do roteiro ficou pronta em 2001, mas mudou completamente. Houve um momento em que a Laerte nem queria mais fazer o filme. Repetia que, para ela, os piratas eram ‘múmias machistas’”, disse Otto ao jornal “Zero Hora”. Desde então, os quadrinhos da cartunista passaram a refletir outras preocupações, como as questões de gênero, influenciando também o novo roteiro do filme.

Enquanto o longa permanecia em processo, o Otto lançou, entre seus longas mais lembrados por crítica e público, “Até Que a Sbórnia Nos Separe” (2013) e “Wood & Stock: Sexo, Orégano e Rock’n’roll” (2006).

Diante dos Meus Olhos

Já no sábado, dia 08, é a vez da exibição do documentário “Diante dos Meus Olhos” (ES), de André Félix na telona do Teatro Carlos Gomes. Nome chave para entender a contracultura dos anos 1960, os capixabas d’Os Mamíferos refletem sobre sua história no documentário Diante dos Meus Olhos. O longa acompanha os ex-integrantes d’Os Mamíferos, 45 anos após a dissolução da banda. Vivendo um cotidiano simples, Marco Antônio Grijó, Afonso Abreu e Mario Ruy recordam a formação do grupo em meio ao surgimento da contracultura nos anos 1960, antecipada pela banda no Brasil, o que influenciaria de forma determinante a música popular nas décadas seguintes.

Transitando por ritmos diversos - jazz, rock, samba, MPB, soul -, o trio de instrumentistas contava com uma série de compositores, entre músicos e poetas. O principal deles era Aprígio Lyrio, que nos palcos capixabas já se apresentava com maquiagem e figurinos exóticos - anos antes dos Secos & Molhados, que popularizaram o artifício nos anos 1970. Aprígio morreu em 1983.

À sombra de grupos mais conhecidos e fora do centro Rio-São Paulo, Os Mamíferos foram motivo de resgate também em livro: “Os Mamíferos - Crônica de uma Banda Insular”, biografia do grupo, assinada pelo escritor Francisco Grijó, foi publicado em 2017.

A Cidade dos Piratas e Diante dos Meus Olhos concorrem ao Troféu Vitória nas categorias de Melhor Filme, Melhor Direção, Melhor Roteiro, Melhor Contribuição Artística e Melhor Interpretação. O resultado da premiação será anunciado na noite de encerramento do festival, no dia 8 de setembro, às 21h30.

Uma realização da Galpão Produções e do Instituto Brasil de Cultura e Arte (IBCA), o 25º Festival de Cinema de Vitória conta com o patrocínio do Ministério da Cultura, através da Lei de Incentivo à Cultura, da Petrobras, do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), do Banco Regional de Desenvolvimento (BRDE), do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), da Ancine, e do Governo Federal, com Apoio da Rede Gazeta, da Prefeitura Municipal de Vitória, e da Secretaria de Estado da Cultura do Espírito Santo. O Festival conta também com Apoio Institucional do Centro Técnico do Audiovisual (CTAv), do Canal Brasil, da Arcelor Mittal, da Link Digital, da Mistika, da Cia Rio, da UVV e da Marlim Azul Turismo. O lounge do Festival é co-realizado pela Galpão Produções e pela molaa.

8ª MOSTRA COMPETITIVA NACIONAL DE LONGAS-METRAGENS

25º Festival de Cinema de Vitória

De segunda a sábado (3 a 8 de setembro)

Teatro Carlos Gomes – Centro de Vitória (ES)

Entrada gratuita

Sexta-Feira - 7 de setembro | 20h

A Cidade dos Piratas (ANI, 89’, RS), de Otto Guerra. Um diretor de cinema se vê diante de uma situação complexa na produção de seu longa: o autor da história passa a negar os personagens principais da trama. Em uma tentativa desesperada de terminar o filme, ele decide contar seu drama, criando um labirinto caótico entre a ficção e a vida real.

Sábado - 8 de setembro | 19h

Diante dos Meus Olhos (DOC, 81’, ES), de André Félix. 45 anos após a dissolução da banda Os Mamíferos, Marco Antonio, Afonso e Mario Ruy vivem um cotidiano simples. Em meio às luzes da cidade, recordam suas glórias e fracassos e ajudam a recuperar um fragmento fundamental da música popular brasileira.

COMENTÁRIOS