COLUNAS

TENDÊNCIA EM GESTÃO DE GRANDES FORTUNAS: MULTI-FAMILY OFFICES REGISTRARAM CRESCIMENTO DE PATRIMÔNIO

Adv. João Modenesi_credito_Monica Zorzanelli

 

Estrutura que reúne assessoria jurídica, financeira e contábil, conforme explica o advogado João Eugênio Modenesi Filho

O número de brasileiros entre os bilionários da Forbes aumentou de 42 em 2018 para 58 em 2019. O gerenciamento destas grandes fortunas requer cuidados específicos para garantir a proteção patrimonial e o acesso aos benefícios e serviços exclusivos que estes recursos são capazes de gerar. O advogado especialista em Direito Sucessório e Tributário, João Eugênio Modenesi Filho, aponta os multi-family office como uma tendência no mercado. De acordo com pesquisa da ISE Bussiness School, divulgada em 2019, o aperfeiçoamento do modelo de governança, profissionalização da gestão de ativos e preservação do patrimônio familiar foram os motivos mais comuns pelos quais as famílias buscaram a estruturação deste modelo.

“O family office é uma estrutura montada para dar suporte a famílias que precisam de uma assessoria completa, que inclua a parte jurídica, contábil, fiscal e de investimentos. É uma tendência que chegou ao Brasil e vem se consolidando. A pesquisa da ISE, mostra que 91% das famílias que adotaram este modelo de obtiveram crescimento de patrimônio acima da inflação, nos últimos cinco anos”, comenta João.

O advogado explica que, dentre os benefícios deste modelo, estão a redução de custos com a centralização das demandas relacionadas aos recursos familiares e também mais assertividade na condução dos processos de manutenção do patrimônio, haja vista que se trata de um serviço especializado. Dos family offices no Brasil, inclusive, 81% são independentes da empresa familiar e gerenciam fortunas de até R$ 3 bilhões.

Benefícios

De acordo com avaliação dos entrevistados pela ISE para traçar o panorama dos family offices no Brasil, dentre os benefícios deste tipo gestão centralizada estão: melhor controle de ativos; ganhos com governança patrimonial; aproximação da família ao seu patrimônio; transparência e prestação de contas; melhor controle sobre os gastos e planejamento de sucessão de forma organizada.

“Indicamos as famílias a investirem em gestão e assessoria jurídica adequada como o caminho ideal para evitar perdas econômicas e até tensões nas relações familiares. O planejamento sucessório, realizado por meio de family offices é importante pois analisa a dinâmica e as funções de cada membro envolvido no negócio, organizando a passagem de poder entre gerações evitando conflitos na família”, destaca.

Ainda segundo a pesquisa, considerando o crescimento da empresa familiar, a valorização de todos seus ativos, bem como as despesas pessoais da família e os custos da estrutura do Family Office, 91% dos participantes tiveram crescimento do seu patrimônio acima da inflação. Em nenhum caso houve diminuição do patrimônio real.

 

COMENTÁRIOS