COLUNAS

POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA ACELERA O ENVELHECIMENTO DOS PULMÕES

Jéssica Polese
Um estudo com mais de 300 mil pessoas encontrou que a exposição ambiental ao ar poluído está associada à diminuição na função pulmonar e aumento do risco de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC). De acordo com a pneumologista Jéssica Polese, a função pulmonar normalmente tem um declínio com a idade, mas novas pesquisas publicadas em julho de 2019 no European Respiratory Journal  adicionam evidências de que o ar poluído é prejudicial ao pulmão.

Os pesquisadores usaram modelo de poluição ATM onde pessoas foram expostas em suas casas: poluentes PM 10 PM 2.5 e NO2 (queima fóssil de carros e emissões industriais). "Os dados mostraram que cada aumento de 5 microgramas/milímetro cúbico na média anual corresponde ao envelhecimento dos pulmões em dois anos", afirma a especilaista. 

Ao avaliar a prevalência de DPOC entre os indivíduos estudados que viviam em áreas com PM 2,5 acima do permitido, a prevalência de DPOC era  4 vezes maior do que em indivíduos expostos ao tabagismo passivo e metade não tinha sido exposto ao tabagismo.

Os padrões assumidos como "limites do normal" são considerados maiores que os níveis capazes de desencadear redução na função pulmonar. Segundo Jéssica Polese, o estudo foi liderado pelo professor David Hansell que explicou: "Em uma das maiores análises nós encontramos que a exposição à poluição do ar a poluentes externos é diretamente relacionada a uma função pulmonar mais baixa e aumento da prevalência de DPOC. Sendo que pessoas  expostas a níveis mais altos de poluentes tiveram menor função pulmonar, equivalente a um ano de envelhecimento".

Jéssica Polese avalia que o encontro desse grande estudo reforça que a exposição aos poluentes aéreos prejudica pulmões levando a menor expectativa de vida e maior chance de desenvolvimento de DPOC.

 

COMENTÁRIOS