COLUNAS

MASTOLOGISTA CAPIXABA COMENTA SOBRE PRÓTESES DE SILICONE X CÂNCER DE MAMA

 

O Brasil ocupa o segundo lugar no ranking de países que mais realizam cirurgias plásticas de próteses mamárias no mundo

De acordo com o último levantamento feito pela International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS), o Brasil é o segundo país no ranking de países que mais realizam cirurgias plásticas mamárias, com mais de 1 milhão de procedimentos ao ano. Nesse cenário, as mulheres são responsáveis por 86,4% das plásticas feitas no mundo, incluindo as próteses de silicone. Neste Outubro Rosa, especialistas também alertam que as próteses podem esconder tumores e nódulos malignos, já que os exames de imagem podem precisar de maior atenção na sua realização e análise, interferindo no diagnóstico precoce do câncer de mama, que é fundamental para aumentar as chances de cura da doença.

O mastologista da Medquimheo, Cleverson Gomes do Carmo Junior, explica que as próteses mamárias não são um fator de risco para o aparecimento do câncer de mama, mas podem esconder a presença de tumores. "As mulheres que fizeram a implantação da prótese mamária precisam manter a atenção quanto aos sinais do câncer de mama. É importante lembrar que, mulheres que optaram pela prótese na reconstrução da mama após retirada de um tumor devem fazer acompanhamento periódico, seguindo rigorosamente as orientações de seu médico, para se certificar de que não há novos nódulos malignos", orienta o especialista. 

Importância dos exames preventivos

Ainda segundo o mastologista, é importante que a mulher adote a rotina de acompanhamento com especialista, para que, assim, seja possível o diagnóstico precoce. "A porcentagem de cura é alta quando o câncer de mama é descoberto em seu estágio inicial, por isso, é preciso que as mulheres, após os 40 anos, criem o hábito de realizar a mamografia anualmente e, para aquelas em que houver casos de câncer na família, os exames preventivos devem ser iniciados mais cedo", afirma o médico. 

 

crédito da foto by Istock: Crédito:Deagreez

COMENTÁRIOS