COLUNAS

“FUGA” DOS TRANSPORTES COLETIVOS AQUECE MERCADO AUTOMOTIVO EM MEIO À PANDEMIA

Glauber Cabral - crédito Cloves Louzada

 

Neurocientista Glauber Cabral analisa que cenário da saúde e econômico criou novos perfis de consumidor e impulsionou a venda de carros e motos, principalmente

A pandemia da COVID-19 mudou completamente o cenário do setor automotivo no Brasil e no mundo. Os perfis de consumo também sofreram influência da pandemia e, dos brasileiros que se planejavam para comprar um veículo, quase 90% pretendem fazê-lo ainda em 2020, segundo dados divulgados pela Associação Nacional de Veículos Automotores (Anfavea) na última terça-feira, dia 23. Dos entrevistados, 84% afirmaram a intenção de comprar um veículo novo.

De acordo com levantamentos feitos pelo Google, a pandemia fez surgir três novos perfis de consumo no setor automotivo: o primeiro é aquele que decidiu comprar o carro que sempre sonhou, como se estivesse se presenteando em um momento difícil; o segundo é formado pelas pessoas que mudaram de cidade durante a pandemia; e, por fim, há o terceiro consumidor que adquiriu um veículo por medo de contágio pelo novo coronavírus em transportes públicos. Para o neurocientista Glauber Cabral, entender as principais tendências de comportamento de uma pessoa é uma estratégia de mercado. “Dessa maneira tomamos decisões a partir de análises. A fuga do transporte coletivo está abrindo oportunidade para vendas de veículos e motos”, comenta Glauber.

“O setor automotivo vinha de uma curva ascendente de crescimento em 2019, a pandemia mudou completamente o cenário econômico. O momento é de se reinventar e se adaptar: se o processo da venda do carro era forte presencialmente, com a atenção do vendedor às mensagens visuais dos perfis dos clientes, identificando de forma presencial os gatilhos mentais para elevar a conversão das vendas, agora o desafio tem sido transformar essa experiência do on-line para o presencial. As concessionárias não fecharam totalmente, mas o movimento caiu naturalmente, levando as estratégias de vendas para a conversão do on-line para o presencial”, orienta Glauber.

Retomada

A neurociência tem sido uma das aliadas na retomada do crescimento econômico e mitigação dos danos que a pandemia do novo coronavírus causou no setor automotivo brasileiro. Glauber Cabral, neurocientista e CEO do Instituto Cabral, explica que o momento é renovar os conhecimentos de neurociência aplicada às vendas e aplicar as técnicas poderosas de Neuroprospecções, NeuroAtendimento e NeuroVendas às vendas on-line e web para garantir o faturamento, sem perder de vista a experiência do cliente. Com o novo Programa Arrancada de Vendas Digital, mais de 2.100 Vendedores e Consultores Técnicos foram capacitados para atuar com vendas nos meios digitais.

“Vamos impulsionar o faturamento de R$ 1 bilhão em vendas de veículos, peças e serviços automotivos”, destaca o neurocientista e máster coach.

 Sobre o Programa Arrancada de Vendas Digital

O Programa Arrancada de Vendas Digital é baseado no método Effectuation, trata-se de um pacote de ações e ferramentas que envolve neurociência, inovação, processos e boas práticas, tais como: técnicas e Práticas de neurovendas & neuromarketing on e offline, neuroprospecções com scripts infalíveis de conversão instantânea com gatilhos mentais poderosos e técnicas proibidas de persuasão, gameficação de equipes e essência do Omotenashi; Bussiness Inteligence (BI) com a carteira de inativos; captação e higienização de novos leads qualificados e painel de bordo com gestão à vista.

COMENTÁRIOS