COLUNAS

FEVEREIRO ROXO: FIBROMIALGIA TEM TRATAMENTO

André Félix, especialista em dor crônica. Crédito Marcos Paulo do Nascimento Silva

 

Nem só de carnaval é feito o mês de fevereiro. Nessa época do ano, a folia abre espaço para a conscientização e prevenção da fibromialgia por meio do fevereiro roxo. O nome é complicado, mas esse problema é mais comum do que as pessoas imaginam e tem maior incidência em mulheres,  especialmente na faixa etária entre 35 e 60 anos.

De acordo com especialista em dor crônica André Félix, a patologia ainda tem a sua causa desconhecida pela medicina, mas sabe-se que se trata de uma doença que se caracteriza por dores difusas envolvendo músculos, tendões e ligamentos. “Além do quadro doloroso, a fibromialgia também está associada a outros problemas, como distúrbios do sono, fadiga, rigidez, dor visceral, problemas gastrointestinais, entre outros”, declara.

A fibromialgia é uma síndrome crônica, bastante comum, onde o individuo que sofre com esse problema sente fortes dores neuromusculares em diversas partes do corpo. Já a explicação para sentir fortes dores é que a estimulação repetida faz com o cérebro das pessoas portadoras da síndrome se modifique. Está mudança ocorre devido ao aumento anormal de certas substâncias químicas que sinalizam a dor, ou os neurotransmissores. Além disso, os receptores das dores no cérebro parecem desenvolver uma espécie de memória da dor, tornando-se mais sensíveis.

A melhor forma de tratar esse mal é através de um tratamento interdisciplinar, que é composta por vários profissionais, que trabalham juntos em prol do tratamento de cada paciente. Além disso, a mudança no estilo de vida com uma boa alimentação e exercícios físicos diários é extremamente importante para o tratamento desse mal que acomete muitas pessoas.

Segundo o especialista, durante esse processo é necessário acompanhamento psicológico, porque alguns pacientes que sofreram muitos anos com esse problema acabam se acostumando com a dor. Quando tratada, a ausência dela não é identificada imediatamente pelo cérebro humano, por isso a necessidade de acompanhamento com um profissional para também ajudar a combater os sintomas.

“Dentro do tratamento interdisciplinar para fibromialgia, recursos como fisioterapia especializada, psicoterapia e acupuntura podem trazer ganhos significativos na melhora dos sintomas desse problema de saúde”, finaliza.

 

COMENTÁRIOS