COLUNAS

COMO NÃO DAR VEXAME NA FESTA DA EMPRESA?

 

Beber demais, fazer gracinhas além da conta e usar roupas inadequadas. Esses são alguns dos deslizes de funcionários nas festas de confraternização de fim de ano da empresa. "É preciso entender que apesar do ambiente promover a descontração ainda é profissional. A postura requerida é própria para um lugar corporativo", explicou o conselheiro do CRA-ES, Hermano Mattos.

As piadas em grupos podem até ser contadas nesse tipo de ambiente. "Mas escolha algo sem conotação pejorativa ou ofensiva. A diversão não está proibida, mas é fundamental tomar cuidado para não prejudicar sua imagem pessoal. Além disso, algumas piadas denigrem o outro e isso sempre é negativo",  pontuou ele que também é conselheiro no Conselho Regional de Administração do Espírito Santo (CRA-ES).

Sobre a bebida, a recomendação do administrador é simples. "Pode beber, mas se você é do tipo que não sabe parar, então, nem comece. Assim vai evitar qualquer atitude constrangedora por causa do álcool em excesso".

Outra coisa importante é fugir dos grupinhos de fofoca. "Ali na festa alguns aproveitam para desabafar. Contudo, nem sempre sabemos a intenção de quem está ouvindo ou mesmo nos apercebemos de quem está ao redor e pode estar atento para a conversa e passá-la adiante. Evite", finalizou Mattos.

A empresa

Como os gestores podem lidar com essas gafes? O conselheiro do CRA-ES Hermano Mattos explica que tudo depende muito do tipo de comportamento. Aqueles mais leves podem ser resolvidos com uma conversa depois da confraternização. "Mas quando o gestor percebe um problema maior poderá intervir com mais severidade como dando uma advertência, o chamado balão", acrescentou.

Para evitar situações assim a recomendação dele é que a empresa tenha, previamente estabelecida, as regras de condutas para ocasiões como a festa de fim de ano. "O ideal é ter em um manual de etiqueta corporativo informando o que é não é aceitável", orientou.

Por fim, a confraternização tem o objetivo de reforçar os laços interpessoais, de acordo com o especialista. Também pretende comemorar e reconhecer o empenho dos colaboradores. "Por isso, os resultados não podem se transformar num ambiente de conflitos, com consequências desastrosas", alertou.

COMENTÁRIOS