COLUNAS

BRASIL CONTINUA ENTRE OS PRIMEIROS COLOCADOS NO RANKING DE CIRURGIAS PLÁSTICAS

O cirurgião plástico Ariosto Santos - crédito Cloves Louzada

 

Segundo a Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS), o Brasil está em segundo lugar entre os países que mais realizam cirurgias plásticas

O número de cirurgias plásticas no Brasil cresce a cada ano e que estamos em segundo lugar no ranking dos países que mais são adeptos da cirurgia plástica no mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos. O mais recente estudo publicado pela Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS), em janeiro deste ano, mostra que em comparação a 2019, o Brasil caiu de 1º lugar em cirurgias plástica para segundo, mas ainda continua no pódio.

Quando comparado o relatório de 2019 com o de 2020, no entanto, verifica-se que o Brasil dobrou o número de pessoas que viajam para o país em busca das cirurgias plásticas. “Os dados de 2020, apontam o dobro de realizações de cirurgias plásticas, passou de 5.5% em 2019 para 10,9 % em 2020. A origem dos pacientes que vem operar aqui no Brasil são, principalmente, dos Estados Unidos, Portugal e Espanha”, explicou Ariosto.

Pelo relatório, as cirurgias mais frequentes são lipoaspiração, aumento de mama e pálpebras, essa última cresceu muito nesse tempo pandêmico devido ao efeito zoom. Segundo o cirurgião plástico Ariosto Santos, a correção de pálpebras, conhecida como blefaroplastia, é bastante procurada por pacientes que ao se deparem com a autoimagem no computador, devido as teleconferências, perceberam um excesso de rugas, olheiras e excesso de pele. “Muitas pessoas procuraram a cirurgia plástica para realizar procedimentos no entorno dos olhos devido a exposição excessiva do rosto em reuniões onlines, o que ficou conhecido como efeito zoom”, explica.

*Cirurgias mais procuradas*

Das intervenções mais procuradas no país estão a lipoescultura com 13,3%, seguida do aumento de mama com 13,2% e a blefaroplastia com 10,9%.

 

*RANKING DAS CIRURGIAS MAIS PROCURADAS*

 

Lipoescultura – 13,3%

Aumento de mama – 13,2%

Blefaroplastia (eliminação dos sinais de envelhecimento das pálpebras) - 10,9%

Abdominoplastia – 8,6%

 

Texto por Flávia Varela - Rose Frizera Comunicação

COMENTÁRIOS