COLUNAS

13 DE OUTUBRO É DIA MUNDIAL DA TROMBOSE: SAIBA MAIS SOBRE A DOENÇA!

Trombose: Conheça melhor sobre os fatores de risco desta doença e, também, as formas de prevenção

 

A data serve para conscientizar sobre as formas de prevenção e os riscos da doença, que tem sido um dos fatores de complicação da Covid-19

 A pandemia, causada pela Covid-19, trouxe a público um problema que já era conhecido por algumas pessoas: a trombose. Ela ganhou ainda mais destaque neste período, por ter alguma relação com as complicações provocadas pelo novo coronavírus. Por isso, no próximo dia 13 de outubro, marcado como o Dia Mundial da Trombose, é uma oportunidade para conhecer melhor sobre os fatores de risco desta doença e, também, as formas de prevenção.

De acordo com a cirurgiã vascular Moriane Lorenzoni, a trombose ocorre quando há formação de um coágulo em uma veia grande das pernas bloqueando o fluxo de sangue, causando inchaço e dor. “Em situações mais graves, esse coágulo se movimenta na corrente sanguínea, levando a embolia, que por sua vez pode afetar o cérebro, pulmões e coração. Algumas pesquisas mais recentes apontam que pacientes com Covid-19 têm duas vezes mais chances de desenvolver trombose. Entre os casos mais graves, com o paciente internado em UTI, o risco para a embolia pulmonar fica entre 20 e 50%”, explica.

Mas, além da Covid-19, existem outros fatores de risco que podem causar este problema. “Um deles pode estar associado a este período de quarentena, que é ficar sentado ou deitado muito tempo. Mas, também há outras situações que levam a um quadro de trombose, como: hereditariedade, gravidez, presença de varizes, idade avançada, insuficiência cardíaca, tumores malignos, obesidade, distúrbios de hipercoagulabilidade, além do uso de anticoncepcionais e o tabagismo”, lista.

A cirurgiã vascular e angiologista Dra Moriane Lorenzoni - foto Jackie C.

Os principais sintomas em quem sofre com este problema são dor e edema (inchaço) geralmente nos membros inferiores, onde a doença ocorre em maior prevalência. “É importante que, especialmente as pessoas que têm maior risco – como idosos, obesos e pessoas com histórico de trombose na família – ou pacientes com o novo coronavírus, se atentem para alguns cuidados especiais. É fundamental manter uma boa hidratação, fazer exercício físico, dormir bem, evitar ficar muitas horas na mesma posição e procurar levantar com frequência e andar um pouco pelo ambiente, mesmo em casa. A alimentação também pode ser reforçada com vitamina C, frutas e legumes”, indica.

A médica alerta ainda que o tratamento deve ser iniciado assim que a doença for descoberta para evitar qualquer complicação. “Para isso, existem medicamentos e outras formas de complementar essas intervenções. Alguns exemplos são: os exercícios físicos – como uma boa caminhada – e as meias de compressão, que são ótimas aliadas, mas devem ser utilizadas apenas com a orientação médica”, orienta.

 

crédito da foto principal: Crédito:Boyloso by Istock Images

 

COMENTÁRIOS